terça-feira, 8 de outubro de 2019

PONTE DO SÉCULO XVIII



Desde 2017 que no mês de Setembro saiu uma notícia: 

"Seca destapa ponte escondida há 19 anos" 

na época foram muitas pessoas lá visitar o lugar 

e ver a dita ponte, eu não fui, no entanto soube que 

logo em Novembro de 2017 a ponte voltou a ficar escondida! 

Sabia que é junto à BARRAGEM DO PEGO DO ALTAR 

e nestas mini-férias de 4 dias decidi lá ir, 

fui-me informando e soube que devido novamente 

à seca deste ano, a ponte está novamente visível. 

O caminho/estrada para a barragem está bom 

e por isso primeiro fui ver a barragem, 

depois fui para os lados da ponte mas o caminho 

não era de confiança até à ponte...







para não vir embora 

com pena de não ir ver a ponte 

decidi deixar o carro e ir a pé... 

mas que grande caminhada e debaixo de um Sol tórrido! 

Vi duas caravanas na zona, talvez com ideias 

de ali pernoitarem, mas o lugar é mesmo ermo...




este é o aspecto do solo, 

todo rachado da "seca"




ao longe, começava a ver a Ponte do século XVIII 




bem como duas pessoas, pois até ali não vi ninguém... 

aproximei-me e falei com os senhores, dois amigos

que gostam de ir à pesca para ocupar o tempo...

e, se ali há muito peixe... (dito pelos senhores) 




está proibida a circulação de carros na ponte 

mas segundo me disseram de quando em vez 

ainda passam alguns carros ligeiros, tractores 

e jipes mais pesados é que não...




ali estava eu em cima da ponte 

que eu queria ver, desde há dois anos




ao longe, uma vaca... olhava na minha direcção...






Um dos senhores chama-me para ver 

um peixe que pescou e fiz logo o click

Entretanto fui chamando a vaca 

criou-se ali uma empatia e ela veio ao meu chamado!




afinal são duas amigas... 

e já estão a entrar na ponte, na outra extremidade




ergo os braços ao Céu a agradecer a Deus 

ter-me permitido ir ver a Ponte do século XVIII 




saio da Ponte e vou captar a Ponte numa outra perspectiva, 

a vaca não quis ir ter comigo, devia estar com sede 

dirigiu-se às margens para beber água





já no caminho de regresso ao carro 

vou captando o que vejo ao longe, 

um "Monte alentejano" ali no meio de tantas árvores!






o carro continua debaixo do "Chaparro" à minha espera!




Ponte sobre o rio Mourinho em Santa Susana 

na albufeira da barragem do Pego do Altar, 

a descoberto pela seca , a maior que até hoje vivi na 

minha geração, tem posto a descoberto outras ruínas 

de aldeias noutras albufeiras.  Em tempo alargado de Verão 

quis voltar ao Alentejo, a Santa Susana, para descobrir 

a bonita ponte do Rio Mourinho submersa com o 

enchimento da albufeira desde 1948, 

apenas por duas vezes a seca a pôs a descoberto!

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

CENTRO INTERPRETATIVO DO TAPETE DE ARRAIOLOS



ARRAIOLOS

há quanto tempo planeava um passeio 

até ARRAIOLOS 

para poder ver as bordadeiras a trabalhar;

Finalmente aconteceu 

e na 4ª feira passada dia 25 de setembro, 

lá fui eu até ARRAIOLOS 

Na rua fui perguntando onde podia ver alguma 

senhora a trabalhar e logo uma moça simpática 

convidou-me a entrar e lá estava esta senhora, 

que me confessou estar 8 horas por dia 

com o trabalho no regaço, também me explicou 

que depois de ter passado o desenho 

agora está a fazer ponto pé de flor no traçado do desenho 

e só depois de ter todo o desenho feito, 

irá preencher com o ponto de arraiolos...






captei algumas fotos de vários modelos 

que estavam expostos para venda

muito sinceramente não perguntei nem vi preços, 

não faço a mínima ideia dos preços






continuo até à Praça do Município, onde está o 

CENTRO INTERPRETATIVO dos TAPETES de ARRAIOLOS

assim que entro nesta Praça deparo-me com esta 

pintura magnífica num edifício, mas não entendi o que era,

vi também os "compadris" à sombra, conversando!




cá está o dito Centro...

entrei falei com a funcionária, fiz perguntas,

 ela foi explicando como funciona a visita

quando chegou à pergunta do costume: 

Posso fotografar? Mau... aí a coisa foi mais complicada!

disse logo que NÃO... 

eu expliquei que há 2 meses tinha estado na Finlândia 

e Noruega, dois países bem mais avançados 

e ninguém me proibiu de fotografar, sempre "sem flash"

é a "norma internacional"!

O que mais me irrita é que 

"nem sabem explicar o "não" que dão aos visitantes"

é NÃO e pronto... 

apeteceu-me virar costas, mas... lá fiz a visita!





o edifício tem esta porta maravilhosa 




O Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos, projeto promovido pela Câmara Municipal de Arraiolos, viu iniciarem as suas obras no dia 4 de Julho de 2011, no edifício do antigo posto da GNR, na Praça do Município.

EXPOSIÇÃO “ARRAIOLOS EM FILIGRANA”

Entre as várias iniciativas do “Tapete está Rua 2019”, foi inaugurada no dia 5 de junho a Exposição “Arraiolos em Filigrana”, a qual estará patente no Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos (CITA) até ao próximo dia 13 de outubro.
Exposição realizada em parceria entre o CITA e o Museu da Filigrana (Lisboa).
 Se bem se lembram fiz recentemente um post 

sobre a visita que fiz ao MUSEU da FILIGRANA em LISBOA, 

onde me deixaram fotografar e mostrei as fotos que fiz...

aquela "funcionária" bem podia ter sido mais simpática 

e eu iria divulgar algumas imagens do CITA, enfim... 




ao sair do CITA vi este edifício FRACOOP 

entrei, e encontrei uma senhora muito simpática 

que me explicou fazer recuperação dos tapetes danificados






vi este tapete acima para venda...Lindíssimo!

e, a simpática senhora foi de propósito 

mostrar-me como faz o seu trabalho, 

sentou-se e fomos conversando, 

não me proibiu de fotografar e ainda me explicou 

para que servia um banco que lá tinha, 

era para fazer as franjas dos tapetes!




sigo pela Praça do Município 

e vejo o belo edifício dos Paços do Concelho




entro noutra rua onde descubro numa casa 

duas senhoras a trabalhar nos tapetes, 

entro e vejo que uma delas bordava e a outra sentada 

junto do tal banco fazia franjas, dirijo-me a esta 

e pergunto se posso fazer uma fotografia do trabalho das franjas, 

foi muito antipática disse logo:

NÃO, o patrão não deixa...

. . . 

Entro nesta Loja "ALENTEJO HERITAGE" 

meto conversa com o senhor responsável da Loja 

e pergunto se posso fotografar, disse logo:

SIM esteja à vontade!

Aproveitei para lhe contar a atitude da funcionária do CITA

ficou admiradíssimo da dita não ter deixado 

fotografar "sem flash"

Eu expliquei que tenho vários blogues e gosto de 

divulgar os lugares que visito e ele disse: 

Então pode divulgar à vontade a minha Loja...

prometi-lhe que iria fazer, sim!

Senhor também faz tours temáticos a outras localidades 

ali próximas, para quem não tem transporte ajuda muito.





Assim que entrei, à minha frente, deparei-me 

com este trabalho a "preto e branco" 

conversei com o senhor que me explicou ser a sua irmã 

que faz esta técnica a carvão!

Um trabalho fabuloso. 

Fiz vários clicks pois gostei mesmo muito.






Fantástico o efeito do trabalho, 

fiquei deslumbrada!




OK guardei para o fim esta imagem 

de um quadro que está por trás da funcionária do CITA 

e tanto insisti que lá me deixou fotografar, 

é simplesmente maravilhoso, 

uma mistura de bordado, no canto inferior direito 

e pintura no resto do quadro.



terça-feira, 24 de setembro de 2019

A CAMINHO DA COSTA VALENCIANA



Mais um passeio de autocarro 

desta vez, até à COSTA VALENCIANA, 

com saída de Setúbal às 23h 30m, 

eu, o Guia acompanhante e o motorista 

lá vamos a caminho de Lisboa, 

onde o autocarro tem que fazer uma pausa 

de 30 minutos e eu aproveitei para subir 

uma plataforma e ir fazer uns clicks 

da "Gare do Oriente"... 

não é bem o que eu gostaria, 

queria mesmo subir à plataforma dos comboios, 

mas não deu... foi o melhor que consegui.





depois de 18h de viagem de autocarro, 

ainda tinha um sorriso nesta selfie, 

no espelho da casa de banho, 

já no meu quarto de Hotel

sinal de que vou "muito positiva", bem disposta 

e cheia de esperanças para passar uns dias agradáveis

(não como algumas pessoas dizem... que sou uma 

pessimista e por isso atraio coisas más) 

Uma pessimista não tinha este "ar bem disposto" 

depois de passar uma noite em claro e 18h de autocarro!




capto o quarto onde vou dormir 5 noites 

e toda a área envolvente ao Hotel onde estou, 

numa zona de praia e muito turismo










depois do repouso merecido, 

começa o 2º dia desta viagem, 

o 1º dia foi viagem, chegar ao Hotel, jantar e alojamento

Neste 2º dia a Guia informa que vai haver 

uma mudança no programa e o que estava estipulado 

visitar hoje 2ª feira dia 16 setembro iria passar 

para 5ª feira e hoje o programa seria o de 5ª feira

ou seja, uma visita a GANDIA 

o autocarro estaciona no parque dos autocarros 

que é o mesmo lugar onde está 

a Estação de comboios de Gandia, 

na imagem vemos um comboio RENFE 

que faz a ligação à cidade de VALÊNCIA 




começa o passeio a pé pelo Centro Histórico




Na Plaça de L' ESCOLA PIA

vemos estas cinco estátuas, todas da Família Borja




A família Borja, era uma das mais célebres do reino do Aragão, Espanha. 

Alcançou fama mundial quando Alfonso Borja foi eleito Papa com o nome do Calixto III. 

No final do mesmo século, houve outro Papa Borja, Alexandre VI, que tinha quatro filhos 

quando foi eleito ao Pontificado. Para dotar seu filho Pedro, comprou o ducado de Gandía, 

(em Valência, Espanha). Pedro, por sua vez legou seu filho João, que foi assassinado 

pouco depois de seu matrimónio. Seu filho, o terceiro duque de Gandía, 

casou-se com a filha natural de um filho de Fernando V de Aragão. 

Deste matrimônio nasceu em 28 de outubro de 1510 Francisco de Borja e Aragão, 

nosso santo, que era neto de um Papa (Alexandre VI) e de um rei (Fernando) 

e além disso, primo do imperador Carlos V.





Alfonso Borja foi eleito Papa com o nome do Calixto III




houve outro Papa Borja, Alexandre VI








Informação sobre a "Rota do Centro Histórico"







Informação sobre GANDIA






Informação que entramos 

na CALLE MAYOR





pelas ruelas do centro histórico 

chegamos à Basílica Colegiata de Santa Maria de GANDIA








captei fotos do seu interior

La Seu de Gandía.
En origen era una mezquita árabe, después fue iglesia, hasta que en el año 1499 el Papa Alejandro VI le dio el rango de Colegiata.
Conserva de su primitiva traza gótica la cabecera, siendo el resto del edificio de estilo barroco, ya que la Duquesa de
Gandía la reedificó totalmente en el siglo XVI. 
Es de una sola nave y constituye un claro ejemplo del gótico tardío valenciano. 
Tiene dos puertas, siendo la del lado sur la más antigua de las dos. 
La de los Apóstoles tenía las esculturas de Damián Forment.
  • Construção:Colegiata
  • Período artístico:Barroco
  • Período histórico:Siglo XIV





gosto imenso destes vitrais




também captei fotos do seu exterior



na Praça encontrei esta escultura, 

que mais abaixo tem a explicação...

Gandia homenajea con una escultura 

a las ''13 rosas'' fusiladas en 1939










no próximo post continuarei a mostrar 

o passeio pelo Centro Histórico de Gandia!